dreams of naughtiness

uma aldeia na mente na selva de pedra

cada vez que eu me aproximo um pouco de você, me distancio muito de mim. é que as decisões foram tomadas já. o futuro já está definido, escrito no papel e assinado em cartório. os fatores são estes: a esperança não pode me consumir. a desilusão é tão comum que ela é até amiga. as emoções fizeram tudo o que fizeram. o medo deve ser erradicado, depois de ter ganho. as mudanças vão ocorrer no desacomodo do corpo físico. a solidão parece um imperativo as vezes. o tedio me mata aos poucos. o meio me influencia muito: chove e faz frio em caxias do sul. parece que vou pensar mais ainda e não vou chegar em nenhum lugar. não me lembro a última vez que estive estável.

— 3 weeks ago

Acho tudo muito mais superficial do que eu consigo expressar com palavras, na verdade as perdi a um tempo atrás. Nada mais se expressa realmente com palavras. O amor a desilusão essa merda toda ambulante que eu sou, essas merdas ambulantes que andam pela cidade e supostamente são pessoas. As palavras me fugiram totalmente quando li minha agonia em uma parada de ônibus no meio do nada. Aquelas palavras destruíram as minhas. Talvez eu estivesse o tempo todo me enganando e nunca tive palavras. As que eu escrevi nunca disseram nada. Apenas reafirmaram minha colocação no universo como eu gostaria que fosse, mas não era e não é. Se tornou alguma coisa, talvez o eu-merda tenha fedido um pouco mais, atraiu mais moscas ou sei lá. Acho que não mudou muita coisa na verdade. Também, se mudasse eu não teria realmente palavras para descrever. Não as tenho agora e não as tinha antes. Só demorei um pouco para aceitar o fundo do poço sujo de lama, frio, úmido e escuro que é achar que se sabe e não saber. Achar que descreve algo e não descrever. Achar que escreve algo. Escrever algo. Fazer algo. O quê? De fato não sei por enquanto, e quando eu souber vou saber, porém nunca vou saber colocar em palavras aquilo que sei de verdade. É um problema epistemológico.

— 1 month ago

acervodabaia:

they’re looking at you 

— 1 month ago with 7 notes
Vomitório →

(Source: acervodabaia)

— 2 months ago with 2 notes
O que quer dizer

Não fica fazendo
o que, um dia, eu sempre fiz.
Não fica só querendo, querendo,
coisa que eu nunca quis.
O que quer dizer, diz.
Só se dizendo num outro
o que, um dia, se disse,
um dia, vai ser feliz.

Paulo Leminski

— 3 months ago with 1 note
gaiapassarelli:

Detalhe do Sri Padmanabhswamy Temple em Thiruvananthapuram, Kerala, India. #KeralaBlogExpress #IndiaPictures #IncredibleIndia #temple #Trivandrum #sacred

gaiapassarelli:

Detalhe do Sri Padmanabhswamy Temple em Thiruvananthapuram, Kerala, India. #KeralaBlogExpress #IndiaPictures #IncredibleIndia #temple #Trivandrum #sacred

— 3 months ago with 5 notes

penabranca:

Watching universes being born and dying under the tropical sun. 

— 3 months ago with 103 notes